• Via di San Gallicano, Rome, Italy
  • (39) 06 8992225
  • dream@santegidio.org

Nutrição e Saúde com DREAM 2.0

O curso de formação “Nutrição e Saúde” organizado pelo Programa DREAM da Comunidade de Santo Egídio com o contributo do 8 x mil da Igreja Católica Italiana viu empenhados, durante 4 dias, 23 operadores comunitários de saúde dos centros DREAM da Tanzânia (provenientes de Iringa, Arusha, Uwemba e Masanga) e 20 operadores comunitários de Iringa, Usokami e do distrito de Pawaga, um dos mais afectados pela malnutrição infantil, na Região de Iringa.

A malnutrição é, ainda hoje, um dos principais factores que contribuem à mortalidade infantil na Tanzânia. No País, 34,4% das crianças abaixo dos cinco anos sofre de malnutrição crónica, mas este dado chega a 50% nas áreas rurais e mais pobres. A malnutrição aguda interessa 4,5% da população, cerca de 2.600.000 pessoas.

O País introduziu, recentemente, a luta contra a malnutrição entre as prioridades no campo da saúde pública.

Na região de Iringa mais de 14.000 crianças sofrem de malnutrição e destas, 4700 de malnutrição aguda severa, como recordaram as autoridades locais (o Regional Commissioner e o Regional Medical officer), presentes na inauguração.

Entre as causas da malnutrição, a pobreza da população rural e uma dieta baseada prevalentemente no consumo de cereais e tubérculos, com escassa contribuição de alimentos ricos de micronutrientes e proteínas.

Por este motivo, durante o curso deu-se amplo espaço à formação sobre como educar a população a uma dieta correcta e diversificada, melhorando a alimentação local.

 

Com a ajuda de nutricionistas tanzanianos e de experiência no campo como o da Comunidade Papa João, foram preparados conselhos práticos e uma série de receitas úteis para as crianças dos 6 meses aos 2 anos, a idade mais exposta à malnutrição.

Um outro argumento enfrentado foi o relativo à higiene na preparação e conservação dos alimentos e da importância de consumir água potável.

Com efeito, o insuficiente acesso à água potável é causa de várias doenças que podem comprometer o saudável crescimento da criança.

No fim do curso, todos os participantes, para além do atestado de participação, receberam a edição em kiswahili do livro “Como está a saúde”.

Il corso di formazione “Nutrizione e Salute, organizzato dal Programma DREAM della Comunità di Sant’Egidio con il contributo dell’8 x mille della Chiesa Cattolica Italiana ha visto impegnati per 4 giorni 23 operatori comunitari di salute dei centri DREAM della Tanzania (provenienti da Iringa, Arusha, Uwemba e Masanga) e 20 operatori comunitari di Iringa, Usokami e del distretto di Pawaga,  uno di quelli  più colpiti dalla malnutrizione infantile, nella Regione di Iringa.

La malnutrizione è  ancora oggi uno dei principali fattori che contribuiscono alla mortalità infantile in Tanzania. Nel Paese il 34,4% dei bambini sotto i cinque anni è affetto da  malnutrizione cronica, ma questo dato tocca il 50% nelle aree rurali e più povere.  La malnutrizione acuta interessa il 4,5% della popolazione, circa 2.600.000 persone. Il Paese ha recentemente inserito la lotta alla malnutrizione tra le priorità nel campo della salute pubblica.

Nella regione di Iringa più di 14.000 bambini soffrono di malnutrizione, di  questi 4700 di malnutrizione severa acuta, come hanno ricordato le autorità locali ( il Regional Commissioner e il Regional Medical officer ),   presenti all’inaugurazione. Tra le cause della malnutrizione, la povertà della popolazione rurale e una dieta basata prevalentemente sul consumo di cereali e tuberi, con scarso apporto di cibi ricchi di micronutrienti e proteine.

Per questo motivo durante il corso si è dato ampio spazio alla formazione su come educare la popolazione ad una dieta corretta e diversificata, migliorando l’alimentazione locale.

Con l’aiuto di nutrizionisti tanzaniani e di esperienze sul campo come quella della Comunità Papa Giovanni, sono stati messi a punto consigli pratici ed una serie di ricette utili per i bambini da 6 mesi a 2 anni, l’età più a rischio per la malnutrizione. Un altro argomento affrontato è stato quello relativo all’igiene nella preparazione e conservazione degli alimenti e all’importanza di consumare acqua sicura. L’insufficiente accesso all’acqua potabile è infatti causa di ripetute malattie che possono pregiudicare la buona crescita del bambino.

Tutti i partecipanti alla fine del corso, oltre all’attestato di partecipazione, hanno ricevuto l’edizione in kiswahili del libro “Come va la salute”.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail

Esta página também está disponível em: itItaliano enEnglish frFrançais esEspañol