• Via di San Gallicano, Rome, Italy
  • (39) 06 8992225
  • dream@santegidio.org

Prevenção e tratamento do HIV

Em 2002, a Comunidade de Santo Egídio, ideou e fundou DREAM com o principal objectivo de controlar a epidemia de HIV/SIDA e a malnutrição na África Subsaariana. Actualmente, o programa está activo em dez países africanos, em colaboração com os governos locais e já tratou mais de 270.000 pessoas que hoje podem olhar para o próprio futuro, graças à gratuidade e à excelência dos tratamentos e do diagnóstico.
O programa introduziu uma nova maneira de enfrentar as emergências e, ao mesmo tempo, está a criar as bases para o desenvolvimento futuro dos países e a sustentabilidade das intervenções. O programa nasce num contexto de elevado e amplo perfil científico que assegura um constante controlo de qualidade e níveis de excelência. Este elevado standard influenciou, naturalmente, as políticas dos Governos e das Agências Internacionais na luta contra a SIDA e a malnutrição (a equipa de DREAM foi incluída nos grupos técnicos de trabalho a nível ministerial em muitos países) e levou à colaboração com a OMS para a redacção das linhas guias internacionais para a prevenção e o tratamento da infecção por HIV. O capacity bulding foi sempre um dos aspectos fundamentais do programa, graças ao qual foram formados milhares de trabalhadores no campo da saúde.

Nos 13 anos de actividade, foram formados mais de 5000 profissionais da saúde africanos. É possível estimar que DREAM, ao longo dos anos, através da educação sanitária, dos cursos de prevenção e de sensibilização nos postos de trabalho, nas escolas, nas Universidades, na rádio, na televisão, tenha chegado a dezenas de milhões de pessoas.

Durante estes anos de trabalho em África, a Comunidade de Santo Egídio, enquanto combatia a SIDA e a malnutrição, compreendeu que qualquer intervenção no campo da saúde deve considerar a pessoa no seu todo e deve respeitar o seu ambiente. A vida reencontrada de muitos dos nossos pacientes coloca-nos hoje novos desafios que não podemos eludir, novas exigências de saúde tais como a necessidade de tratar não só o HIV, mas também outras patologias crónicas ou agudas. A hipertensão, a diabetes, as doenças cardiovasculares e a tuberculose, só para dar alguns exemplos, não devem ser subavaliadas, mas diagnosticadas e tratadas. São os novos desafios que farão ainda maior o nosso sonho para o acesso universal aos tratamentos.

Esta página também está disponível em: itItaliano enEnglish frFrançais esEspañol

KEYWORDS:

  • Realizzazione di centri di cura e di diagnostica specializzati per l'HIV
  • Contributo nella stesura delle linee guida internazionali
  • Controllo di qualità
  • Capacity bulding