• Via di San Gallicano, Rome, Italy
  • (39) 06 8992225
  • dream@santegidio.org

Category Page: Mozambico

Visita ao Centro DREAM Polivalente da Beira

No dia 20 de Novembro, uma delegação de representantes da cooperação dos países da U.E. visitaram na Beira, em Moçambique, o Cento DREAM Polivalente da Comunidade de Santo Egídio. Os representantes que colaboram em projectos comuns de ajuda ao desenvolvimento, decidiram visitar o programa DREAM enquanto um exemplo de boa prática na parceria entre Europa e África.

O acolhimento foi caloroso e o percurso da visita tocou todos os sectores do centro, permitindo apreciar a qualidade do laboratório de biologia molecular e o seu equipamento tecnológico, o nível de formação dos técnicos de laboratório e dos profissionais de saúde e de apoio social. Os hóspedes ficaram particularmente marcados pela atenção que o pessoal dispensa aos pacientes e de como é dada prioridade à continuidade terapêutica e de assistência graças a uma importante actividade de procura das pessoas que faltam às consultas, para que não abandonem os tratamentos.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail

Os “Campeões” no centro DREAM de Maputo

Melhorar o acesso aos serviços de saúde, sobretudo no âmbito do tratamento do vírus do HIV, com uma particular atenção aos adolescentes e às mulheres. Foi o tema em debate no dia 22 de Junho em Maputo, numa importante conferência à qual participaram os “Campeões por uma geração sem a SIDA em África”, ou seja, ex-estadistas africanos que demonstraram uma particular atenção a este importante aspecto da saúde e que conseguiram introduzir significativos melhoramentos neste campo, graças à boa governação durante o mandado deles. Uma ocasião para reunir personalidades influentes e estimadas, capazes de orientar e melhorar as políticas de saúde na África subsaariana.

No dia seguinte, uma numerosa delegação dos “Campeões” visitou no Maputo o centro DREAM “para a Criança” da Comunidade de Santo Egídio, para conhecer de perto a realidade e o exemplo das “melhores práticas” oferecidas pelo modelo DREAM: os ex-presidentes Alberto Chissano (Moçambique), Kgalema Petrus Motlanthe (África do Sul) e Speciosa Wandira-Kazibwe (Uganda), juntamente com os representantes institucionais do Lesoto, da Suazilândia, do Quénia, da Tanzânia e da Zâmbia foram acolhidos pela equipa de DREAM que pôde mostrar os serviços de saúde oferecidos no centro, onde milhares de pacientes recebem gratuitamente os tratamentos, e a elevada especialização do laboratório de biologia molecular anexo ao centro de tratamento, um dos 7 realizados por DREAM no país.

Toda a delegação apreciou as prestações oferecidas e, em particular, o Presidente Chissano quis que lhe medissem a tensão arterial e, dirigindo-se aos numerosos pacientes presentes, exortou todos a seguirem escrupulosamente os controlos e as indicações médicas. Sucessivamente, o Presidente quis recordar como sempre apreciou o Programa DREAM e o acompanhou desde o seu exórdio, quando os medicamentos anti-retrovirais ainda não existiam no país e a Comunidade de Santo Egídio foi pioneira na introdução da terapia para o tratamento da SIDA. Dirigindo-se ao Presidente, um dos pacientes que habitualmente recebe os tratamentos no centro, tomando a palavra, falou do centro DREAM como de uma casa acolhedora como uma família. Uma família que já não está sozinha em Moçambique, onde deu os primeiros passos, mas que se alargou a outros 10 países da África subsaariana, uma “boa prática” que os Campeões reconheceram que deve ser conhecida e replicada, para que, em breve, possa ser uma realidade aquela de uma geração sem a SIDA em África, como as milhares de crianças que nasceram saudáveis e sem o vírus do HIV, precisamente, graças ao protocolo de tratamento actuado pelas mães neste centro DREAM.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail

O Programa DREAM na Assembleia da República de Moçambique

No passado dia 19 de Abril, uma delegação de parlamentares de Moçambique visitou o Centro para a Criança de Maputo, para conhecer melhor as actividades da Comunidade de Santo Egídio na luta contra a SIDA e a Tuberculose realizadas através do Programa DREAM.

Durante a visita, a delegação mostrou-se muito interessada no trabalho de prevenção de DREAM e na abordagem holística às doenças. Além disso, os resultados obtidos ao longo destes anos suscitaram grande maravilha, em particular, o dado de 100% de crianças nascidas saudáveis do programa de prevenção da transmissão do vírus da mãe seropositiva ao filho.

Os parlamentares pediram ainda aos responsáveis do Programa no país um relatório sobre as actividades e os resultados obtidos ao longo destes 16 anos de actividade.

No dia 5 de Maio, a Dr.ª Nurja Majid e a Dr.ª Elsa Mutemba, responsáveis clínicas de DREAM em Moçambique, foram convidadas para assistirem a uma sessão da Assembleia da República sobre a situação da infecção por HIV em Moçambique, tendo sido uma parte da mesma, dedicada aos resultados de DREAM e à eficácia do modelo de tratamento. Além disso, foi recordado que DREAM foi o primeiro a introduzir os medicamentos anti-retrovirais no país e a abrir os laboratórios de biologia molecular para a monitorização do tratamento da SIDA em Moçambique.

No fim da sessão, foi dirigido um agradecimento à Comunidade de Santo Egídio pelo precioso apoio oferecido através de DREAM à saúde do povo moçambicano.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail

Assinado um acordo de colaboração entre o programa DREAM e a embaixada japonesa em Maputo em prol da saúde das mulheres

No passado dia 27 de Fevereiro de 2017 foi assinado um contrato entre a Comunidade de Santo Egídio e a Embaixada Japonesa em Maputo para a realização do bloco para a prevenção dos tumores no “centro para a saúde da mulher” em Zimpeto, Maputo.

A área de Zimpeto encontra-se no distrito de Ka Mabukwana, na periferia Norte de Maputo. A população do distrito é de cerca de 337.000 habitantes dos quais 60% com idade compreendida entre os 15 e os 64 anos. O distrito é uma das áreas mais populosas de Maputo e as estruturas sanitárias presentes (6 centros de saúde e um hospital) são insuficientes.

A população do distrito é constituída, sobretudo, por pessoas recentemente imigradas das áreas rurais, e contam-se numerosos edifícios residenciais acabados de construir, enquanto que cerca de 13% das habitações é formada por cabanas de palha.

O centro para a saúde da mulher é um centro polivalente, onde estão previstas secções especializadas para o tratamento da infecção por HIV (que tem uma prevalência entre os adultos de 23% em Maputo), a prevenção da transmissão mãe-filho, para o diagnóstico precoce das neoplasias das mulheres, uma secção para o tratamento da Tuberculose (primeira causa de morte entre as pessoas com HIV e uma entre as primeiras causas de morte em geral em Moçambique) e uma zona destinada à suplementação nutricional dos pacientes malnutridos.

Nos primeiros três anos de actividade, prevê-se tratar cerca de 5000 pacientes HIV+. Cerca de 500 mulheres poderão, todos os anos, beneficiar também do rastreio do cancro do colo do útero, cuja incidência em Moçambique é uma das mais altas no mundo (42-60 novos casos por ano, cada 100.000 mulheres). As mulheres com HIV estão mais expostas ao risco de desenvolver o tumor do colo do útero.

Como nos outros centros DREAM, também no novo centro de Zimpeto serão adoptados os protocolos mais avançados seja na formação da equipa, seja nos standards de diagnóstico e terapêuticos.

A embaixada japonesa já contribuiu para a realização do centro de saúde de Matola 2; com o acordo acabado de assinar, dá-se um outro passo importante na colaboração entre o programa DREAM e a embaixada japonesa em Maputo, no esforço comum de melhorar a saúde do povo moçambicano.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail

Emergência às vítimas da fome: distribuição alimentar no Malawi e em Moçambique

Parte o projecto de DREAM financiado pela Cooperação Italiana

distribuzioni_-aimentari-1O projecto de emergência às vítimas da fome financiado pela Cooperação Italiana e implementado pelo programa DREAM da Comunidade de Santo Egídio em Moçambique e no Malawi começou a chegar às populações atingidas pela seca.
2016 foi um ano particularmente difícil para a África austral, cerca de 15 milhões de pessoas foram atingidas pela crise alimentar. O El Niño, que provoca um aumento da temperatura superficial do oceano no Pacífico oriental e central cada 5 anos cerca, provocou uma seca que está a ter graves repercussões sobre a já frágil agricultura da região. Isso gerou uma particular escassez na colheita e um significativo aumento dos preços dos alimentos com consequências nutricionais graves nas populações já largamente atingidas pela malnutrição. Por isso, DREAM iniciou um projecto de emergência graças aos fundos da cooperação italiana, com o objectivo de enfrentar a crise alimentar no Malawi e em Moçambique.
Em Moçambique, foi realizada uma primeira distribuição de géneros alimentícios aos pacientes com infecção por HIV, mais expostos aos riscos da malnutrição; no primeiro mês foram assistidos cerca de 270 pacientes nos centros DREAM de Quelimane, Beira e Manga Chingussura; cada um recebeu um pacote com arroz, feijões, açúcar e óleo.
No Malawi, o país mais pobre que ressentiu mais a seca, as distribuições envolveram os centros DREAM de Balaka, Kapire, Dzoole e Kapeni chegando a mais de 1.000 pacientes com HIV. Em poucos dias, entre 30 de Setembro e 1 de Outubro, foram realizadas distribuições nas aldeias de Phalombe e de Chikwawa; estas distribuições assistiram cerca de 900 famílias escolhidas graças ao apoio dos chefes das aldeias e dos párocos que identificaram as famílias em dificuldade com pessoas vulneráveis: crianças órfãs, idosos, famílias com muitas crianças, mães solteiras com filhos.
O projecto de emergência às vítimas da fome é fruto da sinergia entre DREAM, difundido e radicado no contexto africano, e a Cooperação Italiana que disponibilizou os fundos necessários e representa uma resposta rápida e eficaz às necessidades das populações atingidas pelo El Niño na África austral.

Para aprofundar:     news 1     news 2

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail

Primeiros resultados do projecto de DREAM sobre a emergência fome financiado pela Cooperação Italiana

fame2016_1

Foi aviado o projecto de emergência fome para dar uma primeira resposta à crise alimentar desencadeada pelo El Nino na África austral. 2016 foi um ano de crise alimentar em África, que atingiu quase 15 milhões de pessoas (news ). Graças aos fundos da Cooperação Italiana, o programa DREAM aviou um projecto específico de ajudas alimentares às populações mais atingidas pela seca no Malawi e em Moçambique que abrangerá mais de 20.000 pessoas.

Uma primeira fase do projecto previa, paralelamente à distribuição dos alimentos, a realização de questionários com o fim de analisar a situação e poder dar respostas mais adequadas e, eventualmente, planificar intervenções miradas no futuro.

Este estudo foi completado em pouco mais de uma semana e envolveu rapidamente cerca de quinhentas pessoas nos dois países nos centros DREAM e nas aldeias servidas pelo projecto. Como é do conhecimento de todos, a situação nos dois países é crítica. Em Moçambique, em média, os entrevistados vivem em casas com mais outras 6 pessoas e conseguem fornecer alimentos suficientes para a família em apenas 2% dos casos, evidenciando um pioramento da situação alimentar em 2016 em relação ao passado em mais de 95% dos casos com um aumento dos preços evidenciado por quase todos os entrevistados. Situação de todo semelhante no Malawi onde, no entanto, o contexto prevalentemente rural torna a população particularmente sujeita às transformações climatéricas e às dificuldades de armazenamento dos alimentos: cerca de 80% dos entrevistados declarou ter sérias dificuldades em encontrar alimento de Outubro a Janeiro; sempre no Malawi, apenas um entrevistado em quatro come proteínas mais de duas vezes por semana.

Estes dados são apenas um ulterior elemento na descrição de uma situação difícil como a da actual crise alimentar na África austral. A malnutrição, em particular, infantil, está longe de ser um problema do passado em África, mas necessita de investimentos e de intervenções urgentes. DREAM combate, há já 15 anos a malnutrição, em África foram entregues, ao longo destes anos, cerca de um milhão de pacotes alimentares e milhares de crianças comeram diariamente nos centros nutricionais geridos por DREAM no continente.

O projecto da Emergência fome da Cooperação Italiana juntamente com o programa DREAM e outros, responde a estes pedidos prementes provenientes do continente africano.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail